Boletín 06

  Editorial  
 



O Programa Ibero-Americano de Bibliotecas Públicas, Iberbibliotecas, tem o prazer de apresentar um breve perfil de cada um dos dez projetos vencedores do 3º Concurso de Ajudas 2015, que contou com a candidatura de mais de setenta projetos de toda a região.

Tal como em todas as edições do Concurso, o Comité Intergovernamental do Iberbibliotecas procurou projetos que consolidassem as bibliotecas públicas como espaços de livre acesso à informação e à leitura, que propusessem iniciativas sólidas de inclusão social e que contribuíssem para a qualificação da educação e para o desenvolvimento da região.

Os dez projetos selecionados não só apresentam sólidas propostas de promoção da leitura, fortalecimento das bibliotecas públicas e integração social através da cultura, mas também servem, a modo de mapa, as tendências de trabalho que se consolidaram e que começam a surgir no espaço ibero-americano em torno da leitura e das bibliotecas.



Formador de Formadores “Ler é muito mais”
Fundação “Psicovalorados”
Colômbia


Uma sociedade mais equitativa exige a existência de sólidas oportunidades de educação e informação para os seus habitantes. As bibliotecas têm um papel especial na criação destas oportunidades que potenciam a participação das comunidades no espaço cultural da nação. O projeto de Formação de Formadores “Ler é muito mais ” reconhece a leitura como um instrumento de inclusão social que pode ajudar a ultrapassar as desigualdades que as crianças e os jovens colombianos enfrentam. Para a Fundação “Psicovalorados”, o bibliotecário, como mediador da leitura, deve, na procura do fortalecimento da cultura democrática, acrescentar à formação académica e às competências técnicas a compreensão da dimensão política da sua função.

O projeto desenvolve estratégias de formação para bibliotecários vinculados à rede nacional de bibliotecas públicas do Cauca. O seu principal objetivo é apoiar a sua formação e incentivá-los para que possam consolidar as bibliotecas públicas como espaços que favoreçam uma transformação do pensamento, da comunicação, da organização social, da ciência e da educação das comunidades.


   
A minha visão com os meus outros sentidos
Biblioteca Pública Central do Estado de Hidalgo
Ricardo Garibay
México


A sala de Braille da Biblioteca Central do Estado de Hidalgo “Ricardo Garibay” fomentou o acesso à leitura para pessoas com deficiência visual através de diversos programas que desenvolvem capacidades de leitura, tais como processos de estimulação precoce, ensino da lecto-escrita no sistema Braille e capacitação para o uso de dispositivos geradores de fala.

Através do programa “A minha visão com os meus outros sentidos”, a Biblioteca integrará nos atuais serviços vários aparelhos sensoriais ótico-auditivos de leitura e visitas guiadas para esta população, realizadas por guias da própria instituição, com deficiências visuais.


 
O objetivo último do programa é formar utilizadores letrados independentes e conhecedores peritos da Biblioteca e dos seus múltiplos espaços e serviços. Tendo em conta o esforço necessário para assegurar a igualdade de condições e de oportunidades no acesso à informação e para criar culturas bibliotecárias inclusivas, trata-se de uma iniciativa oportuna.


Lendas que ligam jovens e territórios
Biblioteca de Castilla – La Mancha
Espanha


As lendas, como elementos da cultura que recuperam a memória, as tradições e a oralidade, são o pretexto e o instrumento deste programa da Biblioteca de Castilla – La Mancha que procura atrair os jovens da zona para as diversas atividades da biblioteca e renovar os seus laços com a comunidade através da recuperação de memórias orais e do território.

O motivo central do programa liga-se ao propósito de oferecer instrumentos de desenvolvimento pessoal aos jovens, os quais recebem formação em tecnologias da informação e da comunicação, promoção da leitura, gestão cultural e memória. Estas competências procuram cultivar lideranças, encontros intergeracionais e práticas de fomento da identidade, bem como o sentido de pertença dos jovens à sua comunidade, através da investigação, da leitura e da valorização da memória oral do território.





Bairro e biblioteca. Memorias coletivas na constituição dos bairros do noroeste de Medellín
Corporação cultural “sembrando futuro”
Medellín, Colômbia


O projeto contempla uma investigação para a recuperação da memória das dezoito bibliotecas públicas, populares e comunitárias da Zona 2 Noroeste de Medellín, com o objetivo de sublinhar a sua origem comunitária e o seu contributo para a dinamização da arte e da cultura nas comunidades. O “Bairro e biblioteca” contribuirá para a permanência destas bibliotecas, bem como para o reconhecimento da sua legitimidade, resultado do processo social de comunidades no início marginalizadas que encontraram na biblioteca um fator de formação e um espaço público de encontro e de ligação ao mundo.

O projeto aproveitará o acompanhamento permanente dado encarregados e bibliotecários reunidos na Mesa de Bibliotecas da Zona 2 para construir uma metodologia que inclua ações para as manifestações da memória oral, a recuperação do acervo fotográfico, o conhecimento do arquivo documental, o reconhecimento territorial e o estabelecimento dos contextos históricos que deram origem a cada Unidade de Informação. Tudo isto será feito com a participação comunitária, que é a principal portadora da memória dos bairros.



Rede Leitora “Terra das Palmeiras”
Instituto Mariana
Brasil




A Rede Leitora “Terra das Palmeiras” é uma iniciativa conjunta do Instituto Mariana, do Instituto Santa Clara, da Escola Comunitária Educando, do Instituto Educacional e Assistencial Nossa Senhora Aparecida e do Clube de Mães Santa Luzia. A Rede compreende a leitura como uma prática social que permite a interação e o pensamento crítico. Promove, portanto, atividades centradas e intervenções em experiências educativas, recreativas e culturais, tais como grupos de leitura, mediação da leitura, oficinas de reconstrução textual e narração de contos, bem como utilização e troca de livros.

A leitura literária (contos, poemas, crónicas, romances e literatura de cordel) estará presente nas oficinas. O texto literário tem um papel primordial no desenvolvimento das competências culturais do leitor. O projeto proporciona o acesso aos livros nas comunidades Cidade Operária, Cidade Olímpica, Janaina, Santa Clara e nos seus arredores, oferecendo oportunidades de leitura, experiências e educação cívica.


Zonas de leitura jovem. Programa de acondicionamento e formação de bibliotecas públicas para atrair e dar atenção aos leitores adolescentes e jovens
Puerta Joven. Juventude, Cultura e Desenvolvimento A.C.
México


O “Zonas de leitura jovem” é um projeto de acondicionamento e formação de bibliotecas públicas para atrair e dar a devida atenção aos leitores adolescentes e jovens Para alcançar o seu objetivo, o projeto forma funcionários de bibliotecas públicas no terreno para que utilizem metodologias concebidas para motivar a leitura e criar hábitos de leitura na população.

A candidatura do projeto parte de indagações sobre os comportamentos de leitura dos adolescentes mexicanos, que referem a existência de interesse na leitura e nas bibliotecas por parte dos jovens, interesse esse que, no entanto, se vê por vezes obscurecidos por outras circunstâncias. Assim, o “Puerta Joven” refere que há uma desconexão entre as formas de consumo e os interesses literários dos jovens relativamente às estratégias de difusão, atendimento e gestão das bibliotecas públicas, que não contam com as ferramentas necessárias para os orientar na seleção das obras. Em resposta a estes desafios, o “zonas de leitura jovem” propõe três linhas de ação: 1) formação, através da capacitação dos funcionários das bibliotecas; 2) ações de intercâmbio cultural com os jovens; 3) constituição de um acervo bibliográfico de interesse juvenil.



Bibliolabs: Territórios em Código Aberto e Colaborativo

Biblioteca Pública Piloto de Medellín para América Latina
Medellín, Colômbia



O Bibliolabs é um projeto do Sistema de Bibliotecas Públicas de Medellín que tem por objetivo fomentar o trabalho colaborativo entre os funcionários das bibliotecas e a comunidade, através de metodologias que permitem produzir informação e conhecimento, por meio de experiências tecnológicas, trocas de saberes e narrativa hipermédia. Através destes processos desenvolvem-se capacidades para a criação coletiva, trabalho em rede e trocas permanentes de saberes.

O projeto responde a um conjunto de métodos, atividades e ferramentas que permitem que várias pessoas -dispersas em diferentes territórios e reunidas nas bibliotecas - possam desenvolver conteúdos em diferentes códigos (textual, sonoro, visual, audiovisual, gráfico) e formatos (texto, vídeo, áudio, mapas, impressos). Além disso, permite a conceção de objetos e/ou aplicativos a partir da experimentação com tecnologias. A metodologia de realização e de publicação permite a interatividade com os conteúdos e a interação entre os co-criadores e os utilizadores ou audiências, através da convergência de meios, tecnologias, linguagens, mensagens, conteúdos e utilizadoras e utilizadores co-criadores.



Colômbia Um Passeio Literário
“Pelo reconhecimento e reencontro com as minhas raízes”
Associação “Il Nido del Gufo”
Bogotá, Colômbia



O “Colômbia Um Passeio Literário” procura desenvolver processos de reconhecimento e identidade com o património cultural colombiano através do fomento da leitura autóctone, da lúdica tradicional e da arte popular. O projeto está estruturado como uma proposta de Investigação Ação Participativa, que reconhece os saberes infantis e adultos relacionados com os costumes regionais, criando dinâmicas apoiadas no livro, nos jogos e na arte. O conjunto de estratégias do projeto traduz-se então, num mecanismo social de recuperação da memória viva, na re-significação de saberes e na apropriação dos padrões culturais imersos no contexto.

Espacialmente, o percurso literário proposto tem como referência a “praça do mercado” que foi improvisada na rua onde se encontra a Biblioteca. A rua e a praça são um nicho de saberes e de histórias prontas para serem ouvidas e interpretadas pelas crianças. Este encontro no espaço público cria cenários e referências de memória viva que promovem e mobilizam sentimentos de identidade, respeito pela diversidade e apropriação do património cultural colombiano.





Jovens que leem para construir uma sociedade igualitária de direitos e oportunidades
“Hagamos Algo” Associação para o Desenvolvimento Integral de Grupos Vulneráveis com Perspetiva de Género A.C.
México


O projeto “Hagamos Algo” apoia homens e mulheres adolescentes em reclusão no Centro de Internamento Especial para Adolescentes do Estado de Veracruz. Através de atividades de leitura e promoção da cultura dos direitos humanos, o “Jovens que leem” procura promover a reflexão dos participantes sobre discriminações, lacunas sociais e violências relacionadas com questões de género. O objetivo do projeto é provocar a apropriação quotidiana destes conhecimentos e tornar os adolescentes em promotores de uma cultura da igualdade, com o fim de melhorar as relações do seu ambiente social no Centro e de os preparar para a reinserção na sociedade.



Projeto Cultural Intercâmbio RECIFE XUKURU
Associação Cultural Esportiva Social Amigos
Brasil


O intercâmbio intercultural é o centro do projeto da Associação Cultural Esportiva Social Amigos, que pretende documentar e comparar os hábitos de leitura dos mediadores das bibliotecas comunitárias da região metropolitana do Recife e da aldeia indígena Xukuru, na serra de Ororubá. O seu objetivo é partilhar experiências de mediação de leitura, explorar os acervos bibliográficos e orais e incentivar a produção textual.

À volta da figura do cacique Xicão - cuja memória ainda é reverenciada pelo povo Xukuro - serão criados espaços de intercâmbio e documentação do património cultural da região expresso em diversas narrativas, mitos locais e manifestações de tradição oral, e, através da experiência da documentação serão integrados nos acervos de leitura da comunidade. O contacto entre os dois contextos culturais de Pernambuco promoverá o reconhecimento mútuo, identificando diferenças e semelhanças entre cada realidade e enriquecerá o conhecimento atual da leitura, dos territórios étnicos e da cultura popular no estado.